segunda-feira, abril 12, 2010

DIÁRIO DAS OBRAS DA CAPELA VIII

Olá a todos,

Antes demais cumprimentos a todos os forninhenses e visitantes deste blog, em especial os que estão fora e que sentem muitas saudades da nossa terra e das nossas gentes.
Coube a mim novamente voltar a publicar as imagens do andamento das obras da capela e informar-vos que estão a entrar numa fase final, pelo menos para já. O inverno deste ano tem sido muito rigoroso, o que tem dificultado algumas tarefas, no entanto, esperemos ter tudo pronto para as festas que se avizinham. A colocação do telhado novo veio em boa altura, pois este ano teria sido desvastador para todo o espólio que temos dentro da capela, e que já há muito sofria. A Nossa Senhora, este ano, viu a sua casa sem frexas, nem fios de água.

Projecto apresentado em Maio de 2004, na Festa do Espirito Santo

A primeira apresentação pública do projecto foi já no ano de 2004,durante a festa nuns placards junto à parede da sacrístia, e desde aí foi também várias vezes apresentado e discutido neste novo meio de informação que é a internet, sempre de forma totalmente transparente. Neste momento, estamos de certa forma a terminar aquilo que estava previsto, de acordo com as limitações financeiras.

Neste momento, estão em fase de acabamentos, a colocação da electricidade, o chão do alpendre em granito, arranjo das paredes interiores e do chão da capela, envernizamento dos tectos da sacristia e alpendre e das portas e bancos em madeira, a impermeabilização da área em volta da capela em cubos de granito, a pintura das paredes exteriores, entre outras.

Ficam aqui algumas imagens com alguns comentários para melhor perceberem.

A colocação dos dois cedros que estavam na rotunda, em frente ao depósito, de forma a disfarça-lo um pouco. Se clicar na imagem e ampliar, poderá ver já os rebentos.
Lateral direita com o muro arranjado após a retirada do eucalipto e das suas raizes.

Aspecto do caminho que liga ao terreiro e à frente do alpendre. Falta ainda a lavagem dos muros exteriores.

Colocação da rede electrica nas paredes antes do reboco. Irá ter tomadas junto ao chão e candeeiros laterais a apontar para o tecto. Nesta foto, é possivel ver a humidade que entrava pelo lado do terreiro junto ao chão, antes da impermeabilização em cubos de granitos, e já tinha deixado de chover há uns dias. Numa foto do post anterior, vê-se melhor esta situação.

Aspecto das paredes já rebocadas, onde já estão escondidos os fios e onde houve a preocupação de deixar os ombrais das portas e janelas com o granito á mostra, o que não se verificava antes, pois estava tapado.

Paredes rebocadas, faltando agora a pintura.

Nunca é demais referir, que todo este trabalho, é o resultado do esforço pessoal e financeiro de muita gente, desde comissões, párocos, dos forninhenses e vistantes, e outras entidades, que se empenharam em não "deixar cair" a nossa capela e tornar esta recuperação uma realidade, e não ficar novamente em projecto.
Como já foi dito antes, foi preciso "partir muita pedra" durante vários anos, ultrapassar muitas barreiras e exigências, muitos pareceres, para ser possivel iniciar as obras, o que parecia impossivel há uns anos atrás. As primeiras fotos apresentadas em Agosto de 2009, aquando do inicio das obras, mostram bem a degradação que existia. Procurou-se sempre atribuir ao espaço a dignidade, conforto e limpeza que este merece, tal como alguns materiais que este tinha perdido. Neste sentido, houve algumas alterações que são novas para a capela, tal como a colocação de sub-telha e o chão em cubos de granito amarelos em volta do edificio (estas duas de modo a permitir a impermeabilização do edificio e não só, com vista à salvaguarda da talha interior), a colocação de electricidade (tomadas e iluminação), dos tirantes de reforço das paredes e a colocação do pavimento no alpendre, que antes também não existia. Este projecto teve o acompanhamento e aprovação do IPPAR (actual IGESPAR), que é o organismo do Estado que tem competências e pessoal qualificado na área do restauro e recuperação de monumentos. Sem a autorização e parecer deste organismo nem se quer era possivel ter licença para iniciar as obras, por mais pequenas que fossem.

Dizer o contrário, em meia duzia de minutos e sem esforço ou qualquer acção que se reconheça, é distorcer uma realidade evidente e ludibriar a verdade.

É pena o Estado, não disponibilizar verbas para a recuperação deste e outro património classificado, e pelo andar que estão a levar as contas públicas, não acredito que isto melhore. De qualquer forma, se abrirem candidaturas, o projecto ainda poderá ser alvo de financiamento, o que na minha opinião seria mais do que justo pelo esforço de todos.

7 comentários:

Sandra disse...

Está a ficar muito bonito!!
Um excelente trabalho de todos.

Muitos parabéns!!!

Cpts a todos,
Sandra

Ana Guerra disse...

o espaço em si esta ficar muito bonito... a capela está linda!

parabens pelo excelente trabalho

Ramiro Fonseca disse...

Boa noite a todos:
Hoje tive um pouco de tempo para vir á net, e dar uma vista de olhos por estes blogues que actualmente tentam denegrir a imagem de algumas pessoas da nossa terra.
Quando pela primeira vez que li o que nele estava escrito pensei que se tratava de um blogue sem maldade, mas estava enganado com aquela malta, lá dizem que uns não prestam, outros não valem de nada, eu sou oportunista, (mas a dor deles deve ser de não ser socialista), aquilo ate-me quis parecer um blogue de culinária mas como toda a gente enganei-me é um blogue cor de rosa, eles ainda sofrem do 11 de Outubro.
Agora lá só se fala da Capela de Nossa Senhora dos Verdes, que até acaba de ser uma mais-valia para a freguesia pois fazem publicidade, tenho um pressentimento que naquele blogue não conhecem mais nada, eles nunca viram mais cubos em nenhum santuário antigo! Mas como sou bonzinho deixo-lhes aqui uma sugestão, passem um dia nas Rãs no santuário do Nosso Senhor dos Caminhos é aqui tão perto, e depois vão podre dizer finalmente vimos cubos num santuário.
Mas já alguém lhes tentou dizer que os paralelos ou cubos foram lá colocados para algum efeito (impermeabilização da capela) só que eles não sabem bem o que isso significa.

Ricardo Guerra disse...

Boas pessoal,

Não pretendendo responder aquilo que merece pouca atenção, achei que era interessante acrescentar algo importante a esta nova polémica “made in Amadora”.

Eu, ontem, ao fim do dia, fiz um levantamento de todas as vezes que trouxe aqui o projecto à discussão no blog, isto para além da minha comissão o ter feito no Espírito Santo em 2004 na festa, tal como esteve sempre visível no site www.forninhos.com até há bem pouco tempo.

Aquilo que aconselho a quem estiver interessado, é que veja os comentários de todos os intervenientes desde Setembro de 2006, nos quais também há muita humildade e solidariedade, mas diferente da actual, para alguns.

Assim, temos: Set 2006, Nov 2006, Mai 2007, Out 2007, Ago 2008 (Aprovação), Out 2008, Dez 2008, Ago 2009, Set 2009 até à data.

E já agora vejam também os comentários sobre as obras da Igreja Matriz em Janeiro de 2009, pois também é apresentada a colocação de cubos de granito à volta de um monumento que é praticamente da mesma época da nossa capela. Vejam como se modifica a opinião em tão pouco tempo, baseado noutras questões, que não a salvaguarda do património. Nesse caso, esta medida não foi posta em causa.

Eu realmente fico espantado com tanta amnésia por parte de alguns, uns até compreendo pois estiveram muito tempo afastados da igreja, agora outros, só se ficaram de repente sem memória após o terramoto de 11 de Outubro.

Isto tudo, é muito simples de explicar… política! Quem tem a capacidade de entender, consegue fazê-lo, agora quem é apenas, e infelizmente, movida por uma raiva política desmedida, alimentando uma guerra sem sentido, vai ser muito complicado. Mas pode ser que no futuro haja uma nova mudança de atitudes, como já conseguimos verificar desde 2006.

Achei interessante ler, que vai ser criada uma Associação de Defesa do Património de Forninhos. Vou ficar a aguardar pelas novidades com vista à recuperação do nosso património. Terão todo o meu apoio…Forninhos precisa de acção e trabalho, não de palavras e insultos.

Aproveito para dizer todos, que a data escolhida para a caminhada este ano foi de 8 de Agosto. Esperamos que possam estar presentes nesta dia de festa e de redescoberta do nosso património.

A vida, merece que a vivamos com alegria e não com angústia e dor. Por isso façam o favor de serem felizes!

Carlos de Matos disse...

Boa noite aos Forninhenses todos ;o))

Antes de tudo cria salientar a qualidade desse oitavo capítulo do "DIÁRIO DAS OBRAS DA CAPELA".

As obras estão em bom ritmo e é com saudade que se pensa no proximo Espirito Santo que sera o primeiro da nossa Senhora dos Verdes com a sua Casa Restaurada.

Dos ataques indirectos e cobardes, é uma situação que até parece uma estação de "Via Sacra" agreste e tosca com toda a fé e respeito que tenho pelo culto, o debate nos dois palcos que são os blogues dos verdadeiros e dos novos forninhenses merece ser descaracterizado. Até parece que todos os Forninhenses pensam que é pena que a nossa Capela esteja abrigada das intempéries e arranjada e que uma facção continua a flagelar sempre a mesma lenga-lenga do costume. Essa tanga "verde melancia" é monóloga e avança numa verdadeira estrutura da multipersonalidade neurótica. Sera que a mente forninhense esta a degenerar nesse mundo virtual numa pálida alteração do que jà foi capaz de fazer quando unidas as vozes respeitavam pelo menos os outros ?

Sem entrar nas provocações pessoais que acho insensatas em relação ao que pude ler. Quero de presente como forninhense responsável como tantos felizmente em Forninhos, trazer o meu apoio sem limite ao colectivo que fez que as obras se fizessem. O calceamento é hoje a forma mais adequada para estabilizar e impermeabilizar o subsolo junto as fundações da Capela. Sem ir até as Rãs, A Santa Eufêmia da Matança, o São Sebastião do Mosteiro, a nossa Senhora da Estrada de Aguiar, etc... viram os recintos requalificados com granito e vegetalização.
Sem falar da técnicas de aplicação dos paralelos da "Eurovia" que faço trabalhar todas as semanas em obras públicas... os calceteiros são quase todos portugueses e competentes, e pelo que pude apreciar nas fotos aqui colocadas a obra é digna de se reconhecer.

Mandem mais fotos para o pessoal seguir as obras, é uma alegria de ver a nossa Freguesia, o nosso Povo sair do marasmo mental em que estava entranhado.

Força Forninhos

@té breve

Ana Guerra disse...

Olá a todos

É como muita pena que verifico que as intrigas continuam por aí e o foco principal não é Forninhos, até pode parecer, mas no funnnnndo (ou bem ao de cima) são ataques ao povo Forninhense em geral e outras entidades em especifico…

As diferenças de opiniões, sempre existirão e ainda bem (uma ideia boa aqui, uma ideia boa ali…..) mas ao longo da vida tenho tido a confirmação que quem é muito bom para as palavras não pode ser muito bom para os feitos…

Como um dia um autor citou uma vez: “eles falam, falam mas não os vejo a fazer nada…”

E não é que me espantei ao verificar que foi criado um blog também sobre Forninhos por uma pessoa tanto lutou e ainda luta pela liberdade de expressão e li (tive que voltar a ler para ter mesmo a certeza do que meus olhos liam):
“(Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.)”- lá se foi a liberdade de expressão, já para não falar na monotonia dos sucessivos comentários que parecem ser escritos maioritariamente sempre pela mesma pessoa…será que aquele blog não tem moderadores/contribuidores com opiniões diferentes?

Como um dia um autor citou uma vez: “ faz a festa, lança os foguetes e apanha as canas”

Tal como já referi anteriormente, as diferentes opiniões são uma mais valia, não podem é distorcer a realidade, querendo assim transparecer que a opinião do povo em geral é simplesmente sempre igual à sua, e que tudo o que é feito e não feito em Forninhos, é para prejudicar o povo e o património de alguma forma.

Foi assim que ironicamente me debrucei no mais recente single dos Anaquim e dedico a esta situação:

Para vocesssssssssss- ANAQUIM!

Título da música: As Vidas Dos Outros

“Eu sou tão bom a falar das vidas dos outros
Há sempre um conselho a dar p'rás vidas dos outros
Nada é eterno e se aguentarmos todo o mal tem fim
É fácil ter calma quando a alma não me dói a mim
Eu sou tão bom a tornar todo o mal inerte
Se é aos outros que lhes custa que o passado aperte
Mas quando a inquietude vem toda para o meu lado
Deita-se, desnuda e não desgruda até me ter vergado

É tão simples quando estou de fora
(….)Só a mim é que ninguém me entende
E a minha dor não tem como acabar
Ai quão melhor era acordar um dia
E ter as vidas dos outros todas em meu lugar
(…)
Eu sou tão bom a falar das vidas dos outros
Sempre me sei comportar nas vidas dos outros
Volta, revolta, o melhor está para vir
Solta tudo agora, não demora, tornas a sorrir
(…)
Eu sou tão bom a curar
Tudo menos o meu próprio mal
(…)

Carlos de Matos disse...

Boas

Obrigado Ana pela proposta sinceramente adorei a autoderisão ;o))

Anaquim - A vida dos outros ...

@té anima, lol

Carlos