sábado, maio 01, 2010

DIÁRIO DAS OBRAS DA CAPELA IX

Olá a todos,

É com uma alegria imensa e uma satisfação interior total que vos informo que este diário, que sempre procurou trazer aqui o andamento das obras ao longo destes meses, está no seu fim. Desde 2003, que foi quando se iniciou a intenção de elaborar um novo projecto de requalificação para a nossa capela, que se começaram a estabelecer os contactos com a Câmara Municipal, com o IGESPAR (antigo IPPAR) e com os arquitectos e engenheiros responsáveis pelo projecto. Daí para cá foi a luta e o trabalho que vos tenho vindo a informar, para que pudessemos chegar, pelo menos, onde estamos hoje. A capela está praticamente toda recuperada (à excepção da talha interior) e impermeabilizada, o que fará com que, a talha interior classificada pelo IGESPAR, não se deteore mais e este monumento tenha a dignidade que merece.

Em relação ao edifício, tentou-se não deixar um pormenor nem um cantinho por recuperar. Foi um volta completa, desde armação, telhado, barra de suporte, paredes interiores e exteriores, chão da capela e do alpendre, suporte em madeira e telha no alpendre, candeeiros e tomadas de luz e som no interior, a colocação de tectos de madeira à antiga no alpendre e sacrístia, zona envolvente em cubos de granito amarelo, muros exteriores arranjados e limpos, corte e limpeza das raizes do eucalipto, envernizamento dos bancos, tectos, portas e móvel da sacrístia, etc., etc. Ficam a faltar para já as casas de banho exteriores, que espero que num futuro próximo, sejam uma realidade.
Agora é tempo usufruir e visitar este nosso templo, começando já esta segunda pelas 10:00, com o voto de Santa Cruz, dia 24 de Maio na Segunda-feira de Espírito Santo e 15 de Agosto na festa anual a Nossa Senhora dos Verdes. A Nossa Sra. dos Verdes certamente ficará muita satisfeita com a presença de todos os seus devotos. Será também tempo de dar seguimento a um ou outro pormenor, apresentar contas e reafirmar que todas estas alterações só foram possiveis com o esforço e trabalho de todos, pois não tivemos qualquer apoio do Estado até ao momento, apenas da Câmara Municipal. Se foi possivel, fazermos tudo isto sem qualquer financiamento europeu, aquilo que vos posso dizer, é que só se pode esperar um futuro risonho para a nossa capelinha, e espero que futuras comissões sigam o exemplo das anteriores. Um agradecimento especial a todos os que ajudaram nesta obra! Toda essa ajuda permite que hoje não assistamos mais a uma degradação lenta e silenciosa da nossa capela, que era o que mais me custava.
Da minha parte, estarei sempre disponível para qualquer apoio que seja necessário e possível, mas a minha participação e envolvimento também está perto do fim. Neste momento, penso que seria importante elaborar um novo projecto para o restauro da talha interior, embora se torne depois dificil de executar sem financiamento. É um desejo de concretização que deixo ao Sr. Padre Paulo e às futuras comissões. Eu tentarei avançar para outro plano... S. Pedro Medieval. Deixo aqui alguns comentários sobre as fotos seguintes.

Foto do interior do alpendre, com novo chão em granito amarelo e com as portas e tectos já envernizados.
Aspecto geral do chão do alpendre, com uma passadeira em granito em forma de cruz a entrar na capela. De referir que antes da colocação do mosaico verde, o chão era em saibro. Soube há bem poucos dias, pelo empreiteiro que fez as primeiras obras de restauro do alpendre (quando foi colocado o betão), que os pilares eram muito mais grossos, pois na altura foram tiradas pedras para fazer de marcos em terrenos da igreja !?! Esta tese foi avançada inicialmente pelo arquitecto, mas ainda não tinha tido confirmação. Foi uma pena, pois o seu valor seria muito superior. Isto para além das pessoas se lembrarem do forro antigo que era em azul com pinturas antigas.
Aqui conseguimos ver as paredes já pintadas, com os novos candeeiros laterais, que eu pessoalmente considero de um gosto espectacular, para um monumento desta riqueza. São focos que apontam para os tectos. Ainda não foi feito o teste com a capela iluminada, mas está para breve.
As paredes foram de certa forma "endireitadas", pois estavam muito "tortas" e agora pintadas fazem sobressair ainda mais o tecto da capela, quando antes apresentava um aspecto mais sombrio.
Vista de cima de um candeeiro

Vista do interior do alpendre para o terreiro, onde é possível ver todas as árvores a arrebentar.


Pormenor do envernizamento dos bancos da capela.

Sem comentários: